01

Estrias

Entenda as estrias.

Não há fase de maior mudança no nosso corpo do que a adolescência. Os hormônios estão em plena ebulição, provocando as mais variadas transformações. Os adolescentes parecem, na visão dos adultos, que crescem da noite para o dia. Esticam no comprimento e o corpo adquire volume por conta do aumento dos músculos e do tecido gorduroso. O que acontece é que a pele do jovem não tem a flacidez que vem com a idade e com o aumento do volume corporal a pele estica ao máximo até que ocorre o rompimento das fibras colágenas. E assim aparecem as indesejáveis, inestéticas e odiadas estrias.

Inicialmente, por conta desse rompimento das fibras de colágeno, temos vermelhidão e, às vezes, coceira no local. Com o tempo, que varia para cada pessoa, essas estrias vão ficando mais claras até que finalmente adquirem aquela cor branca, nacarada. Esse é o ponto final e permanente da evolução do aparecimento das estrias.

Esse processo também pode ocorrer em outras ocasiões como o aumento do peso corporal, gravidez e em algumas pessoas que malham muito, provocando o aumento excessivo dos músculos e assim também esticando demais a pele.

Mas o que fazer?

Sem desespero!

Na faze inicial, onde se observa a vermelhidão e a coceira, há melhora do quadro com o uso associado de Ácido Retinóico tópico e hidratação local. Infelizmente a resposta a esse tratamento, embora sempre ocorra, é extremamente variável. Pena que muitas vezes as pessoas desperdiçam a chance de melhorar o quadro por acreditarem em diversas propagandas, postadas na internet ou outros meios de comunicação, que prometem a cura das estrias.

Na fase crônica, quando elas já estão brancas, o tratamento é mais difícil e envolve procedimentos mais invasivos.

Esses procedimentos funcionariam provocando um estímulo, mecânico ou químico, na derme o que resultaria em um estímulo dos fibroblastos. Calma, vou explicar. Essas células, os fibroblastos, são as células que produzem o colágeno na nossa pele, mas elas precisam de um estímulo para trabalhar. Esse estímulo tem que simular uma agressão e assim desencadear uma inflamação no local o que enganaria a célula que acabaria produzindo um novo colágeno que preencheria as estrias. 

Esse estímulo pode ser feito com peeling, subincisão, carboxiterapia, dermoabrasão, radiofrequência e laser.

O importante, para o diagnóstico e orientação do tratamento, é que procure um dermatologista de sua confiança. Esse é o profissional indicado para conduzir o seu caso.

Mas, se você me pedir um conselho para não ter estrias eu digo:

Primeiro: se possível, não engorde amiga, além de perder as roupas podem surgir estrias.

Segundo: se estiver grávida, controle o peso. Você pode entrar em uma banheira de hidratante, se engordar muito, não vai adiantar nada. Infelizmente quem engravida muito cedo também tem mais possibilidade de apresentar estrias, pois ainda não há flacidez da pele suficiente para que ela distenda sem romper.

Terceiro: essa principalmente para os rapazes. Cuidado com o aumento excessivo dos músculos, pois também vai levar a uma distensão importante da pele e podem surgir estrias na área do peitoral e dos bíceps, assim como em outros locais.

estria-inicioIMG_3093

Tags